quinta-feira, 19 de fevereiro de 2015

Procura-se

Já morei em três cidades distintas. Já estudei e trabalhei em vários lugares. Sempre fui uma pessoa de prosa fácil. Por essas e outras, acumulei um punhado de conhecidos ao longo da vida. Mas amigos, amigos mesmo, acho que são poucos.
Não que me faltem amigos, não é isso. Nunca me faltou companhia para sair ou para conversar. Mas amigo, amigo mesmo, para mim é bem mais do que isso. Não basta ser somente aquele sujeito que está comigo "para o que der e vier" e que esteja disponível sempre que eu precisar. Ao contrário, advogo pelo extremo oposto: eu procuro amigos que nem sempre estejam aqui e que, por isto mesmo, não exijam que eu esteja também.
Explico:
Percebo que a grande maioria das pessoas entendem que um bom amigo é aquele que sempre atende suas ligações, que sempre está com você, que topa todos os convites. Eu não penso assim, Acho que amigo é aquele que capta sua essência e, acima de tudo, respeita meus movimentos, desejos e negativas. O bom amigo me conhece tão bem, que sabe que pode contar sim comigo, mas que não necessariamente eu vou querer acompanhá-lo naquele bar ou naquela sessão de cinema. Não necessariamente eu vou querer sair naquele fim de semana. Mas se "o bicho pegar", eu vou aparecer, mas se não "pegar", talvez eu prefira estar cá, comigo mesma. 
Nada mais deprimente do que os "amigos" que te pressionam a fazer algo que você não está com a menor vontade. Quem nunca ´passou por isso e se sentiu obrigado a acompanhar algum amigo em determinado lugar ou evento que jamais teria ido por vontade própria? É triste...
Cultivo algumas poucas amizades que prezam pela liberdade. Os convites são sempre feitos por pessoas que entendem recusas e também recusam. E não precisamos inventar desculpas, é simplesmente: "ah, obrigada, mas hoje tô com preguiça..." ou "quero ficar em casa"... Meus amigos de verdade sabem que nem sempre estarei presente mas que, quando estiver, será unicamente porque quero estar e que me dedicarei a eles com todo o meu afeto naquele momento. 
Mas estas amizades são poucas, como disse....no vasto mundo das relações que estabelecemos no cotidiano, definitivamente este não é o caso da maioria que, quase sempre, opta por nos pressionar a fazer qualquer coisa que seja. "que desânimo!"..."já vai você dar uma desculpa.."
Dos meus amigos, não cobro nada. Peço apenas que estejam  comigo  em situações de urgência; nas demais, quando quiserem ou tiverem vontade. Liberdade é o lema! 

Procuro amigos que entendam ausências. 








Nenhum comentário: