sexta-feira, 1 de janeiro de 2010

Que venha 2010!


Depois de um tempinho longe do blog volto a passear por estas bandas. Não dizem que todo bom filho a casa retorna? Pois então, aqui não seria diferente.
Não consigo nem definir como foi o meu ano de 2009. Um ano cansativo, tumultuado, porém resolutivo. Acho que a melhor forma de descrever o que este ano representou seria : "o ano em que consertei parte das merdas que fiz em 2008". É, é isso. Um ano de consertos e reparos. Não fiz nada de novo, não produzi, não criei. Apenas corri atrás do que havia deixado para trás e finalizei o que já deveria ter sido finalizado.
Agora com o ano que se inicia eu ainda não sei o que fazer. Tantos projetos, tantas idéias, tantas vontades....tempo de menos. Decisions, decisions, decisions....
Antes de pensar no que quero fazer em 2010 e quais seriam minhas "metas" para este ano, decidi que a partir de agora prestarei mais atenção na pessoa mais importante do mundo para mim: "eu mesma". Não se trata de um pensamento egoísta e isto não significa que me tornarei um ser sem sentimentos, que passa por cima de tudo e todos como um trator. Não, não é isso. A questão é que para se sentir bem e para merecer o amor de outras pessoas não é preciso que primeiro sejamos capaz de nos amar? Então, o raciocínio é mais ou menos este.... eu vou me amar, eu vou prestar mais atenção em mim, eu vou me tornar uma pessoa melhor, para assim ser capaz de amar e ser amada pelos que me cercam.
Como pretendo fazer isto? Bem, não sei ao certo, não há um manual que me ensine o passo a passo, mas o primeiro ponto que penso ser importante analisar é o dia a dia.
Neste ano de 2009, e acho que em todos os outros, muitas coisas passaram batidas, talvez pelo cansaço, pela correria ou simplesmente pelo desinteresse. Quantas vezes não passamos por alguma pessoa na rua sem ao menos observá-la, por uma criança, um animal, uma cena de carinho, uma cena triste, uma praça, uma flor....e passamos com uma velocidade que nos cega para tudo o que está a nossa volta. Este ano quero sair mais cedo de casa para andar observando tudo o que estiver por perto. Quero sentir, quero registrar os sentimentos, quero identificar cheiros, cores e sabores. Quero descobrir mais sobre mim mesma.
Ontem me disseram: "Você precisa buscar a sua felicidade".
Sinceramente, se isso não é a busca por ela, então eu não sei o que é.